top of page
  • Foto do escritorJ.Maru

Esqueça o Português

Ao falar japonês, esqueça o português.


Uma das dificuldades dos brasileiros que estudam japonês é tentar entender o novo idioma usando a lógica e raciocínios do português.



Esqueça o Português. Dica para você que quer aprender Japonês. Desenho de omem pensativo

Um exemplo interessante: “O avião voa pelo céu.”


Em português, “pelo céu” é um adjunto adverbial.


飛行機は空を飛びます。

(ひこうきはそらをとびます)


Na frase em nihongo, o céu (空) é um objeto direto.



Separamos aqui as principais diferenças entre o português e o japonês para facilitar a sua imersão no idioma.


1 - Estrutura das frases


No português, uma frase comum tem a estrutura sujeito-verbo-objeto.


Eu bebo suco.

Eu - sujeito

Bebo - verbo

Suco - objeto direto


No japonês, a frase mais comum tem a estrutura sujeito-objeto-verbo, especificados pelas partículas, que já falamos aqui (Partículas)


私は水を飲みます。

(わたしはみずをのみます)

私 - sujeito

水 - objeto direto

飲みます - verbo


2 - Alfabeto latino x Silabários


Esta é a diferença mais gritante entre os dois idiomas.

Enquanto utilizamos o alfabeto latino e suas combinações, o Japão usa três sistemas de escrita: hiragana, katakana e kanji. Este foi outro assunto que abordamos neste post (Letras em Japonês).


3 - Pronúncia


Esta diferença é mais sutil e carrega uma dica importante na hora de conversar em nihongo.


No português, a maioria das palavras é paroxítona. No japonês, não há distinção na pronúncia das sílabas e quando precisamos dar algum destaque, alteramos a tonalidade do som, muitas vezes nas partículas, como em uma música.


É comum os brasileiros pronunciarem as palavras japonesas como paroxítonas.


Nos exemplos abaixo, você já deve ter ouvido as pessoas dando destaque para a sílaba do meio, em negrito:


  1. Anime - アニメ

  2. Sakura - 桜 さくら


4 - Formalidade


No japonês, há um sistema complexo de formalidade para expressar respeito entre pessoas de níveis hierárquicos diferentes: o Keigo.


Uma solução curiosa que tradutores encontraram para demonstrar em português esses níveis de formalidade mais alta foi o uso dos pronomes “tu” e “vós” e suas respectivas conjugações, que caíram em desuso, sendo consideradas mais “rebuscadas”. Já tinha reparado?


Com tantas diferenças entre os idiomas, não tente entender o nihongo com a cabeça no português.


Agora, bora estudar! Fale com a gente e faça sua matrícula!


勉強しましょう!


Comments


bottom of page